"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos..."(Freud)

terça-feira, 3 de julho de 2007

Minhas Mãos (homenagem às mãos do Gabi)

Chamo-as assim não por serem efetivamente minhas, mas afetivamente, me pertencem. Elas destoam do todo, são paradoxalmente grandes e infantis, principalmente quando estão semi-encobertas por um determinado abrigo de moletom, que faz o dono delas parecer tão pequeno quanto é grande o abrigo. Essas mãos, que me obrigam a ser/parecer contraditória quando falo delas, tornam difícil a conclusão de qualquer raciocínio, por mera insuficiência de instrumentos lógicos...
São mãos grandes, de dedos grossos, que por isso parecem curtos, dando a impressão de impossibilidade de efetuar trabalhos minuciosos, são mãos com unhas infantis e palma larga, aparentemente feitas para trabalhos pesados, que, afinal, executam com destreza e rapidez.
Mas o que de melhor elas fazem é justamente o oposto do que parecem feitas para fazer: elas aquecem, acariciam e sustentam como nenhuma outra. Fazem os problemas parecerem pequenos, os fazem caber na palma da mão e desaparecerem em um piscar de olhos... são mágicas.
Fazem cócegas, fazem rir, fazem dormir, consertam o que parecia sem conserto, realizam sonhos e assustam quando largam o volante só por diversão... E no volante elas me levam pra longe, só pra arrancar sorrisos e suspiros de alívio quando estou em um lugar especial, onde nós dois repousamos nossas mentes e largamos os problemas lá atrás, deixando o sol bater e o vento soprar, vendo as folhas caírem, vendo o tempo passar... A precisão destas mãos ao guiar um carro me faz pensar em como guiarão minha vida...
Sim, porque, um dia, o dono daquelas mãos vai pedir a minha...

6 comentários:

Viviane & Larissa disse...

Suas mãos que trilham um caminho para você. Apesar de pequenas comparadas a todo o conjunto que és, podem dizer muita coisa. São representantes de muitos de seus atos, ou não?

Adorei o texto..
Vê se aparece mais, menina. Já estava sentindo sua falta... Tanto que cheguei a perguntar para o Pedro!

Beijos ;*

Pedro... disse...

ela perguntou mesmo!

Paradoxo disse...

É um orgulho pr amim ter vc como leitora. rs ...vc é inteligentíssima.
Sua pedagoda estácerta sobr eo escrever...nós sabemos.

Thaty disse...

Oi adorei seu blog e sua visita.. por isso venho aqui lançar um desafio... vá até a Selva te espero lá.. Não pode amarelar hein????

Wilton Matos disse...

Olá!! Sabe que eu e a Gina vamos lançar uma exposição 'Aos Extremos' e as mãos é um dos temas fotografados? Que felicidade então encontrar essas suas palavras. E o que eu poderia sentir encontrando o seu texto? Com as minhas mãos bato palmas saudando com alegria o tempo das nossas mãos. Parabéns!!

Então...Amanda disse...

Mãos são obcenas, descaradas, elas não fazem questão nenhuma de esconder quem somos...
Esse texto me fez perder o fôlego
Coragem a sua de escrever sobre elas.
Parabéns
Bjaum