"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos..."(Freud)

terça-feira, 31 de janeiro de 2006

Bom Dia, meu amor!

Imagino a tua ansiedade olhando os e-mails...Querendo ler um determinado nome no lugar do remetente...
Imagino a tua expressão quando este e-mail finalmente chega, e a ansiedade dos dois cliques para abrir a mensagem...Em um milésimo de segundo, passam pela tua cabeça todas as possibilidades, todas as palavras que podem estar escritas neste e-mail...
Imagino toda a expectativa que um gesto tão simples e corriqueiro (mandar um e-mail), tão fácil pra mim deve estar te causando...
Sinto uma responsabilidade muito grande, pois qualquer palavra mal pensada, mal sugerida pela minha mente aos meus dedos, pode macular este dia tão lindo, fazer-te sentir incompleto, insatisfeito... e aí, tu ligarias para mim por impulso, este impulso causado pelo sentimento de que algo não está certo, de que precisamos encerrar seja lá o que for. Admito que não seria nem um pouco ruim ouvir tua voz, mas, mesmo assim, optei por começar com um "Bom dia amor", para te deixar um pouco mais leve, e para me sentir mais à vontade ao te dizer o que vou dizer.

Hoje é um dia muito especial, querido. Hoje é o dia em que completas vinte e dois aninhos de vida. São vinte e dois anos de existência de uma pessoa que marcou minha vida mais do que posso dizer, mesmo em um milhão de e-mails e recados. Destes vinte e dois anos, sinto muito orgulho por haver estado no teu caminho em três e meio deles. Não sei como posso te dizer o quanto este tempo mudou e marcou minha vida, e como me sinto cada vez que penso em ti. Sei que as minhas palavras estão um pouco confusas e misturadas, com a desordem própria de quem escreve com lágrimas nos olhos e com mil palavras na cabeça, mas vou persistir e tentar dizer o que estou sentindo.
Penso nos outros trinta de janeiro, em como passamos juntos nos três anos anteriores. Livros, espadas, beijos, abraços efusivos e sorrisos, muitos sorrisos... Penso também em dezenoves de setembro, em como a tua presença foi fundamental para cada um deles, mas lembro particularmente de um dia em que eu estava triste, me sentindo tão sozinha, e uma cesta me fez imediatamente sentir que sempre havia alguém pensando em mim, em algum lugar, lugar que eu conhecia tão bem, e onde eu quis estar naquele momento. Sei que nossa vida não foi sempre "um docinho", que, na maior parte do tempo houveram sobressaltos e discórdias, mas, acima de tudo sei o quanto cresci, e o quanto aprendi a te amar com eles. Passamos por muitas coisas, e, durante muito tempo, resistimos e ficamos juntos, pois, junto com as dificuldades, nosso amor crescia a cada dia...
Hoje já não estamos fazendo planos conjuntos para o futuro, já não pensamos mais em uma casa com um gramado na frente e um cachorro para nos esperar sempre que voltarmos para casa, mas mesmo assim, sei que sempre seremos parte da vida um do outro, não como antes desejávamos, mas inevitavelmente, parte da vida um do outro.

Bem, prefiro deixar para escrever em uma outra hora, quando eu puder ao menos ver o que estou dizendo, sem turvar meus olhos, como imagino que os teus estejam agora...
Meu escritor favorito disse que o amor é eterno, pois as lembranças o são...
Então, meu eterno e querido amor, assim como te amo enquanto escrevo estas linhas, vou te amar pra sempre, mesmo que já não estejas aqui.
Desejo que tenhas um feliz aniversário, uma vida feliz e repleta de sorrisos, e espero que estes sorrisos estejam presentes quando pensares em mim, mesmo se estiveres longe.

Beijos e abraços da tua eterna namoradinha (não é assim que me chamavas? Então, penso que concordes com a teoria das lembranças...). Serei sempre tua enquanto pensares em mim, pois as tuas lembranças já não te podem tirar.
Te amo, com todo o significado que essas letrinhas combinadas podem ter.

Bruna Moreira.

3 comentários:

Pedro... disse...

Embora seja um puta fora eu que queria um fora desses. Não comento muito, afinal, não diz respeito a mim e nem devo me meter. Sem mais.
Ah, e obrigado pela singela homenagem no texto.

Anônimo disse...

Puxa! sou homem e nao entendo mto... mas deve ser foda ser trocada por outra!

Bruna disse...

Nota-se que não entendes, meu caro...
Suponho que sejas o autor dos demais posts anônimos e não identificados...
Não vou deletá-los, me divertem...

Então, breve explicação em resposta ao teu "não entendo mto": o fora a q nos referimos (eu no post, Pedro no comment) é o fora q Eu (menina) dei em um ex (menino) com este texto... resumindo: o texto é q foi o fora... nada de trocas por outra mulher... Do you know what I mean?

Continue comentando. Mesmo não gostando das coisas que escrevo aumentas meu ibope...
Abraços..
(PS* Sabes que tens o mesmo vocabulário do menino q levou o fora?)