"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos..."(Freud)

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

A Essência do Igual

Não, nada de devaneios existenciais. Apenas um “pensamento de ônibus” sobre meu assunto favorito: a escrita.

Espere aí, comecemos do início. Sempre que ando de ônibus sem ocupações extras (terminar a maquiagem, ler um livro, jogar tetris) fico pensando em escrever. Em aproximadamente um por cento das vezes eu efetivamente escrevo algo: no geral, fica por isso mesmo. Também no ônibus costumo ficar remoendo as coisas que leio nos blogs que freqüento, e me delicio analisando as características de cada um dos meus autores de blog favoritos. Foi então que percebi que nem sempre é só a forma como escrevemos que se repete: também os tipos de assuntos costumam repetir-se, às vezes de forma velada e, em outras, escancaradamente. Os assuntos, as palavras que usamos, e a forma como escrevemos são a essência da nossa escrita, da nossa personalidade expressada “pela ponta dos dedos” (grazie, Freud). Para encontrar um quê de igual em todos os textos, é preciso ler “alguém” por um longo tempo, ler textos de épocas diferentes pra saber qual a essência de todos os humores, de todas as palavras escritas. Quanto maior a quantidade de textos lidos da mesma pessoa, mais fácil fica de encontrar a “Essência do Igual” de cada um...

Querem ver? Listei alguns dos meus blogs favoritos e sua essência, aos meus olhos: o que mais é evidente pra mim, depois de tanta leitura de seus blogs, afinal, como vivo dizendo nos comentários que faço, sou uma “ratazana” de blogs, sempre à procura do que ler... E sempre encontro.

Gina, a Genial! (paradoxium.blogspot.com): Ela é leve, é a arte em palavrinhas, ela é fera em fotografia na vida real e esta é uma característica que se sobressai também na escrita: a arte de retratar o momento. Os textos delas são extremamente visuais pra mim, faço e desfaço cenários em uma frase dela, que nem precisa ser descritiva.

A Essência do Igual: Assuntos interiores. Cheia de poemas existenciais, é um verdadeiro strip-tease de alma: ela se mostra, pensa em si mesma e se revela da forma mais crua, mais real. Fala dela e de quebra, toca quem lê e penso que seja impossível não se identificar. Palavras bem escolhidas, propositalmente colocadas em destaque de forma harmoniosa; nota-se um certo cuidado com cada palavra e seu significado, como o cuidado de um artista ao pintar uma tela, como fotógrafa a escolher o melhor ângulo, a melhor condição de iluminação para o texto. Um luxo acessibilíssimo e agradabilíssimo (merece os dois superlativos): fácil de interpretar, leitura gostosa como chocolate... Um luxo!

Pedro, o Inexorável! (inexoravelmente.blogspot.com): Ele muda muito! Hehehe... A única coisa inexorável de fato é o endereço do blog! Antigamente ele escrevia em primeira pessoa, já falou sobre ele mesmo, fazendo de seu blog literalmente um blog (=web log =diário virtual), Já foi saudosista, realista, otimista... Escreveu sobre amor, decepção, trabalho, família, amizade; já escreveu com pseudônimos – foi interessantíssimo – já deu até uma receita bizarra no blog! Simplesmente maravilhoso! Já cansei de imprimir para ler no ônibus... Vale totalmente a pena!

A Essência do Igual: É bem parecida com a do Luís Fernando Veríssimo, ironia e sutileza, praticamente em estado puro. Situações cotidianas têm predominado como assunto, mas quem pode saber qual será o próximo post? Pergunto-me por que é que a minha escrita não evoluiu exponencialmente como a dele!

Vivi, a Flor: (spotlessway.blogspot.com) Chamo-a assim aqui simplesmente porque ela possui, também como escritora, as características da mais delicada flor: suavidade, pureza, delicadeza, complexidade, beleza, e, o mais fundamental de tudo: ela desabrocha dia após dia, texto após texto.

A Essência do Igual: A amostragem dos textos dela é limitada, mas é possível perceber o desabrochar dela, o frescor das suas idéias deliciosamente disparatadas também nos comentários que ela faz... Leia o blog dela e deixe um comentário: muito possivelmente serás agraciado com um comentário de flor também! (Obtive informações de que está saindo um texto novinho nesta semana!)

Puxa, ficou grande este texto. Preciso parar, senão, ninguém lê! E olha que são tantos os blogs que eu queria dividir com vocês!

Ah, o meu. Queria muito escrever diferente, escrever um texto sobre a vida ou sobre um assunto cotidiano qualquer; talvez um texto fictício, divertido, bem mais sutil e irônico, mas não tive coragem para deixar o fácil de lado. Escrever em primeira pessoa, me permitindo repetições abusivas e usando o mesmo assunto (quase) sempre, tem sido uma das minhas fugas...
Mas são justamente os meus confortáveis refúgios que impedem minha evolução!

Quero um desafio! Quero escrever sem falar com quem lê, ou falar com a distância quase arrogante de Veríssimo e de Pedro. Se falar, que fale direto ao interior do leitor, como a Gina... Se conseguir inventar, que me inspire e crie histórias semi-imaginárias como a Vivi já fez...

Minha essência do igual: a escrita. “Escrever sobre escrever” e em primeira pessoa - (público há de ter, horas... vocês são todos blogueiros!). É o que vejo de igual nos meus textos (e como me irrita perceber isto!). Já me disseram que todas as minhas poesias falam de vento (foi um comentário extremamente revelador, nem eu havia percebido), e eu gostaria de saber mais... O que mais têm de peculiar na minha escrita? Onde mais reside minha previsibilidade?

Queria respostas puras e sinceras: preciso de material para construir um novo jeito de me expressar... Alguém arrisca? :)

7 comentários:

Viviane disse...

Não! Como tu mesma disseste, cada um tem uma "peculiaridade", o seu próprio jeito, característica. Eu diria, para exemplificar, que cada um de nós guarda consigo um adjetivo, um adjetivo que nos toma e faz com que tudo que fazemos tenha a característica carrega por este. Sendo assim, acredito que esse adjetivo, sim é inexorável e que todos temos e, ao contrário de querer mudar, temos de fazer o máximo para preservá-lo. Tu és brilhante assim, flor, se mudar estraga e deixa de ser tu!

Amo-te!!!

Bruna disse...

Mas eu quero! ^^

"Nem toda mudança traz, necessariamente, evolução; mas pra evoluir, precisa mudar".

;)

Gina Emanuela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gina Emanuela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gina Emanuela disse...

Poxa, se um dia eu publicar um livro, você já fez o prefácio. Se fizer uma exposição, vc é a curadora. rs

Estou honrada com a homenagem e um tanto envergonhada pela minha inassiduidade no blog.

Tentei parar de escrever por uns tempos, porque preciso aterrizar na realidade que me cerca e agir como uma adulta que luta pela sobrevivência material e não apenas pela necessidade expressiva do próprio ser. Mas não sou tão boa em ser adulta, e ás vezes dou minhas escapadinhas em uma agenda de papel.

Enquanto eu não volto, vou lhe acompanhando, porque sinto em vc alguma empatia "escritiva". rs Se quiser ler alguma coisa nova minha, por enquanto, leia alguma coisa "velha", meu blog de anos atrás...rs www.ginaemanuela.blog.uol.com.br

Um grande abraço!

Paula Taddeucci disse...

Oiieee

Obigada pelo recado!! amei!! e é isso que me faz ter ainda mais vontade de trabalhar pela festa!!!

adoei teu blog!!!parabens!!!
um grande beijoo

Bridget Jones disse...

Vim te chamar pra dar um pulinho lá no "Sou para-raio de doido!", já que eu e Dra Lee estamos com saudades...

Passa lá, Bru!