"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos..."(Freud)

domingo, 12 de março de 2006

Interações...(título provisório)

Todas as pessoas têm amigos, até mesmo aquelas que nunca imaginamos interagindo socialmente. Mesmo os CDF’s, (sim, até nós! Digo, eles, eles...) interagem – entre si, somente, na maioria das vezes – mas interagem. E o fato de todas as pessoas estabelecerem contatos com outras, que estabelecem contatos com outras ainda, e cosi via, me parece um grande problema...
Não pretendo que as pessoas parem de falar (totalmente) umas com as outras. Mas parei para pensar (quem puder ou conseguir, faça o mesmo) em que implica este convívio com nossos “semelhantes”. A princípio, temos amigos que nos divertem, nos consolam, nos auxiliam e – o pior de tudo – aconselham. É sutil a forma com que nos influenciam e nos modificam. Os deslumbrados (do tipo “oba, tenho amigos! E muitos! Estourei um perfil no orkut!”) são os que têm menos chance de perceber. Mas prestem atenção...
O estado natural de todas as pessoas deveria ser o silêncio. Partindo do silêncio, falariam somente quando o que dizem fosse tanto ou mais agradável que o silêncio, ou então, quando fosse necessário. (Sim, de todos os péssimos exemplos que eu poderia dar, sou o pior e mais tagarela. Mas ainda tenho cura, visto que percebi. Ademais, vivemos no país do “faça o que eu digo, não o que faço”). Por que cargas d’água nossos queridos amigos nos tentam fazer rir e falar o tempo todo?!?!?! Não rir de nada é sem sentido, pessoas sérias demais são amargas. Por outro lado, pessoas que riem de tudo são ridículas, pior que isto: são vazias. Todo mundo precisa ficar quieto por um tempo, é fútil tentar fazer as pessoas rirem o tempo todo, para manter uma falsa impressão de felicidade geral. Moral da história um: amigo não é aquele que te mantém sorrindo, mas é aquele que, se não entende, ao menos respeita a tua tristeza (ou seriedade). Não precisa ficar sério junto (e nem deve), mas, assim como não adota o teu estado de espírito, não deve te arrastar para o dele.
Há também aqueles casos onde o teu amigo te dá dicas e conselhos de como se vestir, como se portar, o que ler, o que ouvir o que fazer... Mesmo que não diga, apenas o fato de saírem muito juntos, faz com que um (em raros casos os dois) absorvam as preferências do outro por “osmose”. Aos poucos, vamos nos modificando, absorvendo e adotando seus gostos e preferências, e, como acontece em qualquer tipo de interação social, vamos nos tornando cada vez mais parecidos com ele, e cada vez menos com nós mesmos... Por fim, acabamos tomando por nossos, traços da personalidade de outras pessoas, e fazendo (ou deixando de fazer) coisas que, em condições normais faríamos (ou deixaríamos de fazer).Tem muito a ver com aquela “busca por aceitação” em um determinado grupo, que é encontrada com maior incidência quanto menor for a idade do indivíduo. Não é à toa que a maioria das pessoas entra em crise de “quem sou eu” o tempo todo... Moral da história dois: convivência freqüente e amigos muito próximos representam um grande risco à originalidade pessoal.
Posso ser considerada louca por algum hegeliano de passagem por aqui, pelo fato de defender com tanta veemência o isolamento individual... Mas loucura, para mim, é manter, durante tanto tempo, contatos duradouros com pessoas que acrescentam muito pouco de agradável às nossas experiências, e, conseqüentemente, á forma como passamos a ver o mundo, pelo contrário: obrigam-nos a exercitar aquela virtude dos acomodados, a tal “paciência”...

Pura rabugice? Pode ser. Mas pelo menos é minha...

4 comentários:

Anônimo disse...

Gere:...e ai bruna..blz?..seguinte levando em conta o meu sono e a hora q eu li teu blog...eu meio q entendi o q vc keria colocar...c falar alguma besteira nas proximas linhas esteja a vontade para exclarecer comigo hehe...axo q é meio involuntanrio o fato d nós pegarmos gostos e manias d "amigos", como vc falou a necessidade pela aceitaçao dentro d um grupo...um poko eh involuntario e a outra metade seria falta d personalidade...mas isso faz parte da natureza humana...o homem precisa viver em sociedade c nao ele enlouquece...isso ja foi comprovado entao nós nos adaptamos ao meio em q vivemos para sermos bm vistos e aceitos e mantermos a sanidade em perfeita harmonia....bom vo indo..bjaum....

Anônimo disse...

Gere>> e ai guria..vamo atualiza isso, nao precisa c nenhuma teoria sobre a condiçao humana num mundo globalizado baseado valores nada reais....pod c soh umas meras palavras expressando como vc esta ...ou algo q aconteceu, sei q eh meio complicado, parece q vc esta c espondo na net..para q qualquer um q esteja on line, eh uma certa perda d privacidade, mas pense nas pessoas q gostam e c preocupam com vc e q soh tm 20min durante a semana pa t v...tu nao axa q elas gostariam sabe como anda essa minininha q cativa tanto a todos?..hum?! ja parou pa pensa nisso?...ou será q akela sua ideia de isolamente ai esta tao forte ai dentro desta cabecinha?!...bjaum...

Mau disse...

E ai Bruuu...
Tava aki viajando na net e entrei no teu orkut...dai no teu blog...e dai...sei la..comentei. hehe

Bah...é mto massa escrever coisas sem noção na hora q da vontade neh.....Um dia qm sabe te mostro minhas doideras escritas..hehehe

Bom...só passando ai...

bjaum

anônimo disse...

Quanta falta de amigos...